RONALDOEVANGELISTA


Karatê na solidão



Como todo mundo a partir de sua geração, Erasmo e Roberto piravam grande em João Gilberto. Com suas formações desintelectualizadas de roqueiro da Tijuca e crooner capixaba, já misturavam bem todas as influências quando os Beatles estouraram mundialmente e reinventaram os paradigmas, em 1964. Os roquinhos anos 50 e a música brasileira de boate eram igualmente entendidas e preteridas em lugar daquele pop com linguagem atual e a modernidade da bossa nova.

Ingênuos eram os tempos; a Jovem Guarda era conceitualmente rasa por limitações de marketing e musicalmente pobre por limitações culturais, mas Roberto e Erasmo de cedo mostravam a amplitude de suas intenções e sensibilidades, algo como Lennon e McCartney pós-Dylan e marijuana e Gil e Caetano pós-Lennon e McCartney.

Com a força emocional e inteligência instintiva de suas músicas, conquistaram Deus e o mundo e ensinaram o abecedário pop pra geral, nem que pela negação. Nessas de imaginário, congelaram suas imagens, muito pelo culto desde lá e até hoje a Roberto. Mas ali, enquanto tantos perdiam tempo separando Beatles e João Gilberto em gavetas diferentes, Erasmo e Roberto marotamente divertiam-se com todos os pops que pudessem.

Chapas de Jorge Ben (com quem Erasmo dividiu uma casa no Brooklin, em São Paulo, em 1966), Roberto já ali em 63 lançava música jovem de gosto samba-jazz com solo de trombone e Erasmo, em especial, vivia fazendo músicas, pra mulher do Lafayette, pros Golden Boys, Originais do Samba, Célia, tocando violão com Luiz Carlos. Enquanto Lennon e McCartney garantiam o sucesso dos Rolling Stones dando pra eles "I Wanna Be Your Man" em 1965, Erasmo e Roberto presenteavam os amigos com sambinhas.

Varrendo os discos com canções deles, ligando os pontos, contando essa história, evitando os óbvios (vai atrás de "Coqueiro Verde" e "Maria, Carnaval e Cinzas"), compilei, play abaixo ou baixe AQUI, sambas compostos por Erasmo e/ou Roberto, em sua melhor época.



Os Sambas de Erasmo & Roberto 63-74

Roberto Carlos - É preciso ser assim (63)
Conjunto CBS - Menino do sertão (65)
Dina Lúcia - Matando a miséria a pau (65)
Jorge Eduardo & Banzo Trio - Timbó (65)
Golden Boys - Toque balanço, moço! (65)
Luiz Carlos - Samba na palma da mão (65)
Lafayette - O menino e a rosa (65)
Originais do Samba - Eu queria era ficar sambando (70)
Célia - A hora é essa (72)
Elza Soares - Rainha de roda (72)
Trio Mocotó - Samba da preguiça (73)
Wanderlea - Mané João (74)
Erasmo Carlos - Cachaça Mecânica (74)

Marcadores: , ,

0 Responses to “Karatê na solidão”

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Busca


[All your base are belong to us]

Evangelista Jornalista
Investigações Artísticas

*Anos Vinte







@evansoundsystem



Feed!



© 2001-2010 Ronaldo Evangelista